Untitled Document
Untitled Document

Breves (por Manoela Ferrari)

O Prêmio Literário Casino da Póvoa, que premia, com 20 mil euros, autores de língua portuguesa/castelhana/hispânica com livros publicados em Portugal, este ano destina-se a romances. Os livros devem ser enviados até 15 de setembro, para o Gabinete de Projetos Culturais do Cine-Teatro Garrett, em Póvoa de Varzim.

Dono da maior rede de comunicações capixaba, Cariê Lindenberg lançou dois livros de uma só vez: Muito longe do fim e Memórias cariocas & outras memórias. Beneficente, a noite de autógrafos superou as anteriores registradas em Vitória.

Sairá no dia 24 de novembro o resultado de um dos maiores prêmios literários do país direcionados a alunos da rede municipal de ensino, o Prêmio Jorge Amado de Literatura, promovido pela Secretaria Municipal de Salvador. Em sua segunda edição, contemplando cinco categorias (poesia, conto, romance, histórias em quadrinho e vídeo clipe), além do prêmio em dinheiro, a premiação publicará as obras premiadas.

Efemérides Fluminenses é o título da mais recente obra lançada pela autora Cybelle de Ipanema, sócia emérita do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro.

Tendo como tema Mundos flutuantes, a Bienal de Arte Contemporânea de Lyon abre dia 20 de setembro e estende-se a 7 de janeiro de 2018. O Brasil estará representado por Ernesto Neto, Cildo Meireles, Rivone Nevenschwander, Ana Maria Maiolino, Ligia Pape e Daniel Mangrané.

O Festival Literário de Araxá (Fliaraxá), entre 4 e 8 de outubro, na cidade do Alto Paranaíba, vai abordar o Brasil na presidência da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), no biênio 2016-2018, e a importância da língua portuguesa na atualidade.

Vai até o dia 28 de outubro a exposição Festa brasileira: fantasia feita à mão, no Sebrae da Praça Tiradentes, no Rio de Janeiro. A mostra conta com mais de 850 peças do célebre artesão nordestino Mestre Vitalino.

Curador e diretor de programação da Japan House, criado pelo arquiteto nipônico Kengo Kuma, na Av. Paulista, Marcello Dantas projeta oito exposições no local até 31 de dezembro.

Se falarmos que Maria da Graça Costa Pena Burgos, recém saída dos 70 anos, prepara um livro de crônicas, pouca gente se interessará. Mas, revelando-se ser esse o verdadeiro nome da consagrada cantora Gal Costa, não resta dúvida do sucesso. A publicação sairá até o final do ano.

Ricardo Severo prepara, para 2018, uma versão musical de O Alienista, de Machado de Assis. Toma como base ritmos da virada do século 19 para o 20, maxixes, modinhas, entre outros.

Esgotado há anos, Os segredos da ficção – um guia para escrever narrativas, de Raimundo Carrero, está de volta às livrarias, lançado pela Ed. Cepe.

Em São Paulo, dentro do Experimenta Portugal 2017, o Consulado Geral lusitano exibe, até 16 de outubro, na Pinakoteca, uma mostra com parte do acervo do Museu Nacional Soares dos Reis.

O psiquiatra e escritor italiano Mauro Maldonato esteve no Brasil para lançamento dos livros Na hora da decisão: somos sujeitos conscientes ou máquinas biológicas? e Improvisação: a revelação do inesperado, com o selo de Edições Sesc.

Sete de setembro marcará a estreia nacional de Polícia Federal – a Lei é para todos, longa-metragem contando os bastidores da Lava-jato, operação que tanto abalou o meio político do país.

Baseado no livro Música para quando as luzes se apagam, de Ismael Caneppele, Júlia Lemmertz espera estrear nacionalmente, até dezembro, o filme com o mesmo nome.

Parceria firmada entre a Fundação Bienal de São Paulo e o Sesc vai ampliar a abrangência da 32ª Bienal Itinerâncias. Pernambuco, Tocantins e Santa Catarina inserem-se entre os primeiros estados a receber as obras dos artistas participantes.

Questionando sobre o personagem predileto contido em Maurício – A história que não está no gibi, sua autobiografia, Maurício de Sousa, famoso criador da Turma da Mônica, surpreende, dizendo identificar-se melhor com o dinossauro Horácio. É que todos seus leitores acreditavam em Mônica e Magali, inspiradas em suas próprias filhas.

Foi lançada a segunda edição do livro O Cearense, do ex-governador do Ceará José Parsifal Barroso.


Aberto ao público no final de agosto, o prédio do Instituto Moreira Salles, em São Paulo, além de salas de mostras e cineteatro, possui uma biblioteca com mais de 7 mil livros, além de restaurante e uma moderna livraria.


Adaptado por Aline Resende, o conto Noite de almirante, de Machado de Assis, publicado em 1884, vai virar filme pelas mãos do produtor Bruno Saglia.


Saiu, nos EUA, a tradução de Mulheres negras no Brasil, organizada por Juliana Barreto Farias, Giovana Xavier e Flávia Gomes, obra lançada no Brasil pela Ed. Selo Negro, em 2012.


Ao todo, 107 longas e 850 curta-metragens, provenientes de todos os estados, concorreram à primeira edição da Mostra Sesc de Cinema, em que 34 filmes foram selecionados para exibição pelo Brasil. A segunda edição do projeto fica com as inscrições abertas até o dia 30 de setembro.


Confirmado: quatro anos após sua última turnê pelo Brasil, o Cirquedu Soleil se apresenta em São Paulo, de 5 de outubro a 17 de dezembro, e no Rio, de 28 de dezembro a 12 de janeiro de 2018.


A individual do argentino Júlio Le Parc, com 80 obras, será a maior mostra deste segundo semestre, no Instituto Tomei Ohtake, em São Paulo. O artista é conhecido pelos trabalhos de arte cinética.


Uma das mais bem-sucedidas do meio especializado nacional, a Editora Unesp, da Universidade Estadual Paulista, está completando 30 anos. Seu presidente é o professor de filosofia da ciência Jézio Hernani Bonfim Gutierre.


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso escreveu a contracapa de A Planta que sabia demais, da Ed. Todavia, livro-reportagem de Denis Russo Burgierman sobre a maconha, a ser lançado em breve.


Zeca Camargo escreve biografia da cantora Elza Soares, pela Editora Leya.


Publicado pela primeira vez no século passado, Stella Manhattan, de Silviano Santiago, volta às livrarias pela Cia das Letras.


Comemorativa dos seus 60 anos, vai até o dia 5 de outubro a individual do artista plástico José Bechara, no Museu de Arte Moderna do Rio. Denominada Fluxo Bruto, festeja, também, os 25 anos de carreira.


Em outubro, por iniciativa da Câmara Brasil-Rússia de Comércio, o centenário da Revolução Russa de 1917 será tema de espetáculos no Armazém da Utopia, no Porto do Rio

Untitled Document
Untitled Document

Página Principal - Quem Somos - Expediente - Editorial - Opiniões - Letras e Letras - Lançamento - Bolsa do Livro
Assinatura - Publicidade - Contato - Novo Produto

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005, Jornal de Letras