Untitled Document
Untitled Document

Conhecemos muito bem a hist√≥ria do Pr√™mio Cam√Ķes de Literatura, que chegou a sua 29a edi√ß√£o tendo como vencedor o escritor portugu√™s Manuel Alegre. Acompanhamos a sua elei√ß√£o e entrega desde os prim√≥rdios e condenamos a sua radicaliza√ß√£o ideol√≥gica, quando isso acontece. J√° houve esse exagero em Portugal (lembramos bem das resist√™ncias √† entrega do pr√™mio √† escritora Rachel de Queiroz) e, depois, no Rio de Janeiro, quando a solenidade foi tomada por manifesta√ß√Ķes pol√≠ticas que nada t√™m a ver com literatura. O fato levou as autoridades brasileiras a abandonar o recinto, pois o que estava acontecendo n√£o era compat√≠vel com o que chamamos de boa educa√ß√£o. Vaias e gritos podem dominar assembleias pol√≠ticas, o que no atual momento em que vive o pa√≠s pode ser at√© compreendido, mas n√£o numa reuni√£o em que o objetivo maior era a homenagem a um escritor brasileiro, como foi o caso de Raduan Nassar, em 2016. √Č at√© constrangedor para o pr√≥prio homenageado quando essas demonstra√ß√Ķes tomam conta do recinto, misturando equivocadamente as esta√ß√Ķes. Parece que a excita√ß√£o que tomou conta do pa√≠s est√° fugindo dos limites do razo√°vel. Vamos esperar que as coisas logo voltem ao normal e possamos respirar o clima de tranquilidade democr√°tica.
O editor.
Untitled Document
Untitled Document

Página Principal - Quem Somos - Expediente - Editorial - Opiniões - Letras e Letras - Lançamento - Bolsa do Livro
Assinatura - Publicidade - Contato - Novo Produto

Resolução mínima de 800x600 © Copyright 2005, Jornal de Letras